Chamado aos Grupos de Agroecologia do Brasil para participação no VIII Encontro Nacional de Grupos de Agroecologia – ENGA

          O VIII Encontro Nacional de Grupos de Agroecologia ocorrerá entre os dias 16 e 20 de dezembro no campus III da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), localizado em Bananeiras/Solânea-PB. O ENGA surgiu a partir da necessidade dos diversos grupos de agroecologia brasileiros de constituírem um espaço formativo teórico e prático que congregasse e agregasse a diversidade de Agrupamentos e Coletivos de Agroecologia, a partir do qual pudessem se comunicar e trocar experiências em espaços horizontais onde tenham abertura para a experimentação de metodologias outras e onde tenham autonomia. Procurando a articulação e o fortalecimento destas interações e relações foi criada a Rede de Grupos de Agroecologia (REGA Brasil), que atualmente se encontra frutificando e amadurecendo. O ENGA é um evento mais amplo que busca ser um espaço de interação e aproximação da Rede com pessoas e Grupos de Agroecologia que praticam e pesquisam, ou têm interesse em temas relacionados à agroecologia, elevando o debate do movimento agroecológico, propagando ideias, práticas e iniciativas sustentáveis e trocando e aprimorando experiências metodológicas e aprendizagem coletivas. Busca enfatizar a dimensão política da agroecologia a partir do estímulo à organização e articulação nas e entre as iniciativas agroecológicas, nos grupos, coletivos, organizações,  agrupamentos, redes e movimentos envolvidos na construção da agroecologia dentro e fora do meio acadêmico. O encontro é construído e realizado de forma horizontal e autogestionada pelos coletivos, com a intenção de fomentar a partir do trabalho coletivo o apoio e fortalecimento mútuo. A REGA não possui patrocínios, além das parcerias que estabelece e contribuições, das mais variadas, que recebe. A Rede e os encontros são financiados em grande medida a partir das contribuições financeiras dadas no pagamento das inscrições dos eventos, sendo assim, a partir da própria inscrição, cada qual já começa a contribuir com a co-construção do evento. 

         A partir do presente ano a REGA começou a promover a realização dos Encontros Regionais de Grupos de Agroecologia (ERGAs) com a intenção de fomentar a constituição de Articulações Regionais que dêem maior caráter e significação local e regional para a constituição de laços em rede. O IV Sementário da REGA realizado em Pernambuco e o VIII ENGA na Paraíba são marcos e trazem consigo a intenção de uma maior aproximação e enraizamento da REGA em território nordestino. Tendo  em vista que a região nordeste historicamente vem gestando e alicerçando uma série de experiências concretas no âmbito das lutas camponesas e na consolidação do movimento agroecológico, temos também essa intenção de trocar e aprender com as “ricas” experiências regionais.

          A temática deste ano, intitulada “Monoculturas da mente x Agroecologia de saberes”, traz o debate sobre o monocultivo no Brasil, e como essa prática afeta o cenário social,  político, econômico, cultural e educacional brasileiro. A monocultura traz consigo, além dos impactos ambientais irreversíveis a longo prazo, a questão da desigualdade na distribuição de terras, tendo em vista que o latifúndio e o monocultivo são interdependentes e ainda ocupam grande parte do nordeste do país. O tema busca relacionar como este modelo político e econômico monocultor no campo esta relacionado ao modelo “monocultor de mentes” que prepondera as universidades e instituições de ensino, as quais costumam estar condicionadas a adestrar pessoas para o mercado de trabalho a partir das demandas meramente tecnocráticas, ao invés de suscitar espaços para o livre pensar e a formação de senso crítico. Em contrapartida a essa triste realidade ainda pulsante em nossa sociedade, temos a agroecologia, que traz a diversidade nas suas raízes. A  diversidade é o principal aporte para o desenvolvimento sustentável, pois é através dela que ocorre o resgate dos saberes tradicionais e onde todas as formas de vida tem sua condição e seus tempos respeitados. É  nesse contexto de conflito que convidamos as pessoas estudantes de agroecologia, as agricultoras e os agricultores, povos indígenas e povos de comunidades tradicionais  a se mobilizarem para buscar propostas e alternativas de organização frente ao cenário político atual. É através do ENGA que unimos forças e estratégias para fortalecer e ampliar os laços que tecem a agroecologia.

O TERRITÓRIO DO NOSSO VIII ENGA

          Estamos localizados no brejo, Planalto da Borborema na Paraíba, terra de muitos encantos e muita luta. Hoje, é o estado onde mais se concentra cursos de Agroecologia, terra de Elizabeth Teixeira e João Pedro Teixeira sujeitos fundamentais na organização das Ligas Camponesas, lutadoras e lutadores “arrochadas” que firmaram o pé contra a exploração dos latifundiários às trabalhadoras/es rurais nas monoculturas da cana de açúcar. Neste mesmo contexto de resistência campesina, somos a terra de Margarida Maria Alves, mulher e campesina, que lutou pelos direitos trabalhistas durante a ditadura militar. Mulher de Luta que foi cruelmente assassinada ao questionar o uso de produtos químicos nas plantações, inspiração da Marcha das Margaridas, movimento que reúne mulheres organizadas num ato de resistência pela Agroecologia. Assim, com muitas pessoas lutadoras, a Paraíba vem tecendo a rede que rege nossa luta pela Agroecologia e o Biopoder camponês. Neste contexto histórico, social e político que vem balançando a rede agroecológica, com as organizações sociais rurais, movimentos feministas, lutas e resistência das comunidades tradicionais e estudantes, todos buscando uma nova construção de saberes, os Saberes Agroecológicos, que o Encontro Nacional de Grupos de Agroecologia está sendo catalisado. O chamado, portanto, é de luta e construção!  

“É melhor morrer na luta, do que morrer de fome” Margarida Maria Alves

O Espaço “ENGUINHA”

          Teremos um espaço dedicado às atividades lúdicas e práticas para as crianças que participarão para o encontro. Nesse espaço serão desenvolvidas atividades como oficinas, rodas de conversas, místicas, brincadeiras e práticas relacionadas também a temática do encontro.

          Para aquelas pessoas que virão com suas crianças para o evento, pedimos que seja preenchido, no formulário, informando a quantidade de crianças  e o tipo de alimentação que as crianças consomem (se são veganas ou vegetarianas).

CARAVANAS AGROECOLÓGICAS

              Seguindo a dinâmica dos eventos passados, as Caravanas Agroecológicas continuam sendo a melhor forma de transporte, estimulando o apoio mútuo e a integração entre pessoas de diferentes regiões mas que têm o mesmo destino final: o VIII ENGA!

            A ideia é que entre o ponto de partida e o ponto de chegada, as pessoas ao longo deste percurso possam aproveitar esta carona e integrar as caravanas, viabilizando o transcurso, estimulando o apoio mútuo e a solidariedade entre os coletivos, atitudes/gestos indispensáveis para fortalecer as relações que tecem a rede agroecológica. Seja em transportes alugados, seja em veículos particulares, ou mesmo nos ônibus disponibilizados pelas universidades/faculdades, devemos nos esforçar para formar as Caravanas. A união faz a força, a união é a força!

        Assim, para que essa mobilização aconteça de forma autogestionada, criamos um grupo “Caronas Agroecológicas 2016 (VIII ENGA – Bananeiras/PB)” no Facebook.

          Quem estiver precisando de uma carona e quem tiver vagas para oferecer caronas pode colocar aqui e, a partir disso, se comunicar para combinar!

O QUE TRAZER?

          Bananeiras  apresenta um clima temperado e tendo em vista as instabilidades climáticas é bom estar preparada/o para tais  alterações. O  clima é confortável e uma característica marcante da região é o vento e as chuvas durante a madrugada. Tragam equipamento de camping, rede/sacos de dormir; é importante trazer agasalhos para o período noturno e roupas leves para o dia pois a oscilação climática é bastante presente. Também é importante trazer roupas de trabalho, incluindo calça e bota para proteção da perna, chapéu/boné e itens de proteção para o sol, repelente, se possível ferramentas de trabalho (facão, enxada, etc), lanterna, guarda chuva e/ou capa de chuva. Não esqueçam seus talheres, prato e copo e seus produtos de higiene pessoal, de preferência com ingredientes naturais.

          Teremos uma cozinha coletiva para o preparo dos alimentos e a ideia é que todos os grupos tragam alimentos das suas regiões para compartilharmos: sementes, tubérculos, processados, temperos e aromas de todos os cantos do Brasil para contribuir com a alimentação. A campanha Plante o ENGA intenciona estimular que os grupos plantem os alimentos destinados a serem colhidos para o encontro e/ou tragam os conseguidos com os agricultores de suas respectivas regiões para compartilharmos a diversidade de saberes e sabores no momento do encontro. Durante o evento acontecerá uma feira com exposição do artesanato produzido na região e de outras regiões, haverá também a troca de sementes crioulas.

        Esperamos de braços e ferramentas a postos para receber a todas e todos que compartilham  sonhos e projetos visando a construção e compartilhamento de saberes, o resgate  da diversidade, o fortalecimento e empoderamento da mulher e a construção de um novo modelo de sociedade.

“Que nada nos defina, que nada nos sujeite. Que a liberdade seja nossa própria substância.” Simone de Beauvoir.

INSCRIÇÕES

Categoria 2º lote (de 21/11 a 10/12)

ENCERRADO!

3º lote (de 11/12 a 15/12)
Agricultoras/es e comunidades tradicionais Isentos* Isentos*
Técnicos CAVN** R$ 40,00 R$ 50,00
Público em Geral/Graduação R$ 70,00  R$ 80,00
Pós-graduação R$ 80,00   R$ 90,00
Docentes R$ 110,00 R$ 120,00
 Categoria  No dia do evento
 Agricultoras/es e comunidades tradicionais  Isentos*
 Técnicos CAVN**  R$ 60,00
 Público em Geral/Graduação  R$ 90,00
 Pós-graduação  R$ 100,00
 Docentes  R$ 130,00

* Isentos mediante comprovação no ato de credenciamento.

** Será necessária comprovação a partir de documentos que comprovem o vínculo do participante com o Colégio Agrícola Vidal de Negreiros.

*** Enviem os comprovantes de pagamento da taxa de inscrição para o e-mail regabrasil@gmail.com para confirmarmos as inscrições

VAGAS LIMITADAS!

          Por questões de infraestrutura, o evento terá capacidade para acolher até 250 pessoas. Portanto, caso o número de inscrição exceda o limite, será dada preferência aos membros de coletivos e agrupamentos organizados de agroecologia.

Faça sua inscrição clicando aqui.

Informações para depósito do valor referente à inscrição:

Em nome de Tatiana Weckeverth Furquim
Banco do Brasil
Ag. 3850-4 Conta Poupança: 18.162-5 Variação 51
(qualquer dúvida referente à conta, entre em contato (41)9728-3373 [só Whatsapp])
* Atentem para o fato de que a conta acima é poupança, portanto no momento da transferência deve-se prestar atenção ao tipo da transferência a ser feita (corrente -> poupança ou poupança -> poupança)

Dúvidas e informações:

regabrasil@gmail.com

Giovana Araújo: (83) 99896-8325

Katarine Silva: (83) 9.9934-1441

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s