Nossos Encontros

Sementários

Hora de jogar as sementes. Sentar em roda, se concentrar e pensar coletivamente como podemos alcançar nossos objetivos enquanto rede.

Os sementários são encontros internos, que buscam se debruçar sobre a estruturação e resolução de demandas da REGA, realizar a avaliação dos eventos/ações da rede e dinamizar a articulação para o próximo ENGA.

A Comissão Organizadora (C.O.) deve estar articulada com a rede e familiarizada com os seus princípios. Por ser um encontro reduzido, é necessário que se busque máxima representatividade das regiões, dos Grupos de Trabalho e das C.Os dos eventos que ocorreram/ocorrerão naquele ano.

Encontro Regional dos Grupos de Agroecologia – ERGA

Junta os caipiras com os capixabas, dendê com mandacaru. Encontrar quem mora perto e você não sabia, e quem não mora tão longe assim mas já deixa saudade.

Os ERGAs buscam facilitar a articulação entre os grupos ligados à agroecologia e trabalhadoras/es do campo distribuídos pelas diferentes regiões do Brasil. Seu objetivo é fortalecer elos regionais, integrando grupos mais próximos geográfica e culturalmente, além de alimentar a realidade local a partir da troca de experiências, realização de oficinas autogestionadas, e da identificação de desafios e gargalos regionais. Os ERGAs são abertos, e uma porta de entrada para quem quiser fazer parte ativamente da REGA. A cada ano o ERGA acontece em diferentes estados de cada região, e deste encontro sai o indicativo de local para o próximo ERGA.

Encontro Nacional dos Grupos de Agroecologia – ENGA

Aquela epopeia onde a utopia vira verdade.

Os ENGAs promovem o intercâmbio entre as diversas regiões do Brasil, e nos anos em que acontecem junto ao Congresso Brasileiro de Agroecologia, servem também como estrutura de apoio aos participantes do CBA. Nos ENGAs são realizados repasses dos ERGAs e resgate dos Sementários. Os dias de encontro são recheados de mutirões, vivências práticas e teóricas, oficinas autogestionadas, sempre buscando a troca de saberes e o fortalecimento da agroecologia no país. O ENGA também é aberto e porta de entrada para quem quiser fazer parte ativamente da REGA. A cada ano o ENGA acontece em diferentes regiões do país, e deste encontro sai o indicativo de locais para o próximo ENGA e próximo Sementário.

Dinâmica dos Encontros:

Visando coerência com nossos princípios, todos os encontros da REGA funcionam seguindo a seguinte dinâmica:

  • A Comissão Organizadora de cada Encontro costuma mobilizar coletivos e organizações de sua região desde os preparativos, com campanhas como “Plante o ENGA/ERGA/Sementário”, para que as estruturas necessárias para o encontro (como banheiros secos, composteiras, produtos de higiene naturais e plantio de alimentos) sejam realizadas em mutirões previamente.
  • Os encontros são realizados através de financiamento dos próprios participantes, sendo o cálculo para os valores de inscrição o mais baixos possíveis, jamais visando-se obtenção de lucro. Normalmente há isenção para agricultoras/os e pessoas que apresentem dificuldades financeiras. O balanço financeiro de todos os eventos são publicizados, mantendo máxima transparência orçamentária. Parte do dinheiro arrecadado nos ENGAs ficam para o caixa Nacional, e parte do dinheiro arrecadado nos ERGAs fica para o caixa Regional.
  • Tentamos ao máximo que a maior parte do alimento consumido nos encontros sejam provenientes da agricultura familiar camponesa, produção agroecológica, orgânica ou de produtoras/es em transição agroecológica. As refeições são sempre vegetarianas. Todos os resíduos gerados durante os encontros são destinados à composteira ou à coleta seletiva, e há uso debanheiros secos para alívio geral. Os coletivos e grupos que participam do Encontro também são mobilizados para levar alimentos de produção própria ou de sua região, obtendo abatimento no valor das inscrições.
  • Todas/os as/os participantes assumem as responsabilidades coletivas, as quais são cruciais para a realização e manutenção do evento. Ao chegar, as/os participantes dividem-se em grupos que rotacionam-se ao longo dos dias do encontro para realizar tarefas como cozinhar, realizar o manejo dos resíduos, organizar os espaços, e assim por diante. Trata-se de uma co-construção, que propicia a participação de todas/os as/os interessadas/os na composição da dinâmica dos espaços, sendo expostas as demandas coletivas, procurando trabalhar com uma disciplina consciente, em que cada pessoa possa se sentir responsável e disponível a contribuir com o trabalho e a integração com o grupo. Consideramos a auto-gestão do encontro um experimento prático de construção de relações sociais de tipo novo, sem separação entre trabalho intelectual/manual, decisão/execução, dirigentes/dirigidos.
  • Os ERGAs e ENGAs são sempre abertos para que as/os participantes possam inscrever-se como oficineiros para compartilhar seus conhecimentos e práticas em oficinas simultâneas autogestionadas. A C.O. fica responsável por balancear a programação com atividades tanto práticas quanto teóricas. Nos ERGAs e ENGAs há sempre uma Feira de Troca de Sementes, e frequentemente uma Tenda da Cura e espaços especialmente destinados às crianças, como o “Enguinha”. Também não faltam culturais com manifestações locais, fogueiras, e rodas de capoeira. São nestes encontros também que há espaços formativos da REGA, para inserção dos coletivos e indivíduos que buscam atuação mais ativa na Rede. Tais encontros são sempre finalizados com uma Plenária Final e escrita coletiva de uma Carta Política.